10 agosto, 2011

O CONDOR E A CORUJA





Era uma vez um índio que teve um sonho estranho. No pesadelo viu muitas máquinas que ele nunca tinha vista na vida real, que velozes, devastavam as plantacoes, destruiam as florestas, poluiam os rios e regatos e provocavam o exodo de sua tribo para bem longe das terras de seus ancestrais...





De manha foi ao conselho dos velhos e contou o sonho. Os velhos se reuniram todos na Casa do Conselho e lá ficaram até o outro dia analizando o sonho daquele índio.





Ao por do sol, os velhos chamaram todos e todas daquela aldeia para uma grande assembléia. E anunciaram que a tribo tinha agora que estar permanentemente em alerta, pois um imenso poder destruidor poderia estar a caminho e trazer muita dor para seu povo.





Dizem que aquele índio que teve o sonho nunca mais dormiu. De dia ele é o condor que voa lá no alto no céu, vigiando toda a extensão do mundo em torno de sua tribo. De noite, ele é a coruja, que vigilante, vasculha a escuridão com seus imensos olhos brilhantes, vermelhos e profundos...





Ras Adauto

No Dia Internacional das Nacoes Indígenas!

09.08.2011
Postar um comentário