31 agosto, 2011

REENCARNAÇÃO: O GRANDE DESAFIO DO RETORNO







A reencarnação é a maior prova de amor e perdão que Deus dispensa a suas criaturas. Dando aos seus filhos a oportunidade de retornar e completar as tarefas que foram negligenciadas ou interrompidas, até que se encontrem num estágio que não necessitem mais dessas experiências depuradoras e retificadoras. A maioria, ainda muito materializados nas suas concepções e percepções, ignoram o esforço que o mundo espiritual superior faz para que cada um possa, dentro das suas necessidades evolutivas e ao seu tempo, retornar as experiências terrenas. A seguir, algumas considerações acerca da intensidade da ajuda recebida.



Planejamento: elaborado na dimensão espiritual, envolve uma complexidade que mal podemos imaginar, tais como pesquisas do passado, avaliação de possibilidades futuras, identificação e localização de pessoas com as quais devam ser negociadas futuras atividades (...), que tendências estimular, desestimular ou combater, que virtudes enfatizar, que erros corrigir, até onde poderão suportar pressões corretivas, que problemas devem ficar para “mais tarde”, em outras existências. (...) inúmeras variáveis são postas em discussão e avaliação, a fim de armar-se um esquema viável dentro do possível, ainda que nem sempre o ideal1.



Aproximação: realizado o programa, a próxima etapa será colocar o reencarnante em contato fluídico com os futuros pais, para readaptar seu perispírito à nova vivência que terá na terra. Para aqueles que estão em conflitos, os espíritos amigos possibilitam um encontro no mundo espiritual a fim de que se harmonizem, pois os sentimentos desequilibrados podem prejudicar a geração do feto.



Perturbação: à medida que se intensifica a aproximação com os futuros pais e vai perdendo o contato direto com a esfera espiritual, o reencarnante passa por um período de perturbação, bem maior e, sobretudo, mais longo do que ao desencarnar, mas variável conforme o grau evolutivo. O mergulho no mundo físico será cheio de ansiedades e receios, principalmente para aquele que já falhou em outras vezes. Sabedor da importância dessa nova oportunidade e conhecendo suas fraquezas, vive a ansiedade e o medo de um novo fracasso.



Redução perispiritual: precedendo a reencarnação o corpo espiritual (perispírito) passa por um processo de redução. Nessa etapa, o nível de consciência e o processo variam segundo o estágio evolutivo de cada um. Com a ação magnética realizada por trabalhadores do mundo espiritual e com o auxílio do próprio reencarnante, a forma perispiritual se torna reduzida semelhante a uma criança. É um processo semelhante à desencarnação na Terra, pois para poder passar de um mundo a outro, o Espírito se reveste da matéria própria desse outro2. Assim como na morte, quando abandona o corpo físico, ao retornar deixa a parte mais grosseira do seu invólucro sutil.



Fecundação espiritual: nessa fase, estando o espírito já esquecido das existências anteriores, a espiritualidade amiga efetua a união do seu perispírito com o da mãe. Os pais, durante o sono físico, participam em espírito de forma lúcida e consciente desse momento, embora após o despertar não guardem uma lembrança perfeita, mas tudo ficara gravado na memória eterna.



Fecundação física: após o ato sexual, pois as relações íntimas dos casais que primam pela moralidade são invioláveis, enquanto os espermatozóides correm em busca do óvulo a ser fecundado, identificando o mais apto no sentido da sintonia magnética, os construtores siderais fixam sobre o escolhido a força magnética fazendo com que se desembarace dos demais e alcance o óvulo. Após a fecundação física, a ação espiritual será direcionada para a ligação da forma reduzida com o óvulo fecundado, fazendo com que a vida comece a pulsar3.



Enquanto o organismo maternal fornecerá o alimento básico para a formação do aparelho físico, o perispírito do reencarnante agirá como rigoroso modelo, dando a forma ao futuro corpo.



Proteção: a ajuda espiritual, sempre mais intensa até o 21° dia da gestação, quando o embrião atinge a configuração básica, continuará presente até os sete anos de idade através do espírito protetor. Após esse período continuará auxiliando, porém, de mais longe.







Cleto Brutes

1MIRANDA, Hermínio C. Nossos Filhos são Espíritos. 8.ed. Bragança Paulista, SP: Lachâtre, 2003. p. 125.

2KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. 83. ed. Rio [de Janeiro]:FEB, 2002. questão 187.

3XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da Luz. Pelo espírito André Luiz. 36. ed. Rio [de Janeiro]:FEB, 2001, p. 214
Postar um comentário