04 março, 2011

QUEM SÃO OS VOSSOS DEUSES?

Assim como vocês descobriram a verdade sobre o Coelhinho da Páscoa, Papai Noel e a Fadinha do Dente de Lei­te, vão descobrir que existe um cenário, uma história, uma versão idealizada em torno de muitas destas energias que têm vindo a cultuar como deuses.






A energia predominante neste planeta sifona (drena) os vossos sistemas religiosos segundo a sua própria vontade. Ela extrai fluxos de energia incríveis, e esta energia está viva.



Foi dito a vocês que todos os vossos pensamentos criam mundos: eles são reais - eles vão para algum lugar.



Existem cinco bilhões e meio de pessoas pensando neste instante. Toda esta energia está viva na Terra.



Qual é o sentimento predominante dentro dessa energia e o que pode convencer ou coagir a sua exibição? Não estamos aqui para dizer quem está certo ou erra­do, ou quem é quem dentro da hierarquia. Queremos sim­plesmente desfazer as vossas ilusões, alertá-los para aquilo que foram induzidos a acreditar.





A nossa intenção é sugerir que pensem maior. Sintam a, importância da perda que ocorrerá dentro desta energia predominante, quando um número cada vez maior de vocês deixar de vibrar de acordo com este plano. Pensem o que podem fazer quando vencerem esta modulação de freqüência, ou a insistência da vossa mente lógica e, impe­cavelmente, permanecerem límpidos como Portadores de Freqüência.





Lembrem-se que identidade como freqüência é a soma total da irradiação como pulsações eletromagnéticas dos vossos corpos físico, mental, emocional e espiritual. Todas as vezes que possuírem o que alguém estava sifonando (drenando) e culti­varem isso de acordo com a vossa vontade própria, vocês mudam a vibração do planeta. Como destruidores de sistemas, esta é uma das tarefas que desempenham com mais habilidade. Nós não queremos depreciar ou desprezar o que usaram até agora como instru­mentos, queremos apenas que se desfaçam de seus velhos ins­trumentos.





Vocês estão dedicando reverência e lealdade a sistemas de crenças que já não lhes servem mais, da mesma forma que vai chegar o dia em que cada um de vocês terá ultrapassado os ensinamentos que estamos ministrando ago­ra. Outra energia será capaz de dizer: "Bem, quando os Pleiadianos estavam lhes mostrando isto, era muito bom. Eles dirigiram vocês até aqui. Deixem-nos levá-los adiante. A evo­lução não para, nem há nada que tenha sido ensinado neste planeta que represente a verdade suprema. Na medida em que forem recuperando a história de vos­so passado reptiliano, perceberão que muitas características que influenciaram o sistema patriarcal da história faziam, na verdade, parte da família dos répteis (predadores, reptilianos, raça alienígena que num passado remoto assenhorou-se da raça humana. Tal raça é descrita por diversos autores a partir dos anos 90. São eles: Carlos Castaneda, Miguel Ruiz, Bárbara Marciniak, William Bramley, Alex Collier, David Icke, Credo Mutuwa, dentre outros).





Assim, como os humanos não são maus, o mesmo ocorre com os répteis. Eles não contêm menos parte do Criador Primordial que vocês, nem sua aparência ou fisiologia são inferiores. Os mestres geneticistas são capazes de ocupar muitas formas diferentes. É compreensível que parte da dificuldade de se trabalhar com uma espécie isolada seja o choque que pode ocorrer com a revelação completa da verdade. Existiram e existem muitos outros deuses criadores, mas apenas alguns possuem a forma humana. Atualmente, a inquie­tação e o desconforto que vocês sentem em relação à aparência dos répteis advém de sua forma, que lhes é muito estranha.





Os deuses criadores estão voltando para a Terra, é por isso que o planeta está passando por perturbações tão gran­des. Conforme forem aprendendo a sustentar as freqüência vindas dos raios cósmicos criativos, vocês estarão, cada vez mais, preparados para encontrar estes deuses. Como já disse­mos, alguns deles já estão aqui. Andam pelas ruas, vão a suas academias, participam do vosso governo e dos vossos locais de trabalho. Estão aqui para observar e para dirigir energia. Alguns deles vieram para os ajudar, outros estão aqui para aprender e evoluir. Existem ainda outros que não possuem intenções tão elevadas.





Precisam aprender como discernir entre as energias ex­traterrestres. Este é um universo de livre-arbítrio, portanto todas as formas de vida são permitidas aqui. Se uma energia procura amedrontá-los, manipulá-los, controlá-los, não é uma energia interessante para se trabalhar com ela. Vocês esco­lhem com quem trabalhar. O fato de uma entidade ter desen­volvido capacidades fantásticas e aparentemente mágicas, não significa necessariamente que ela seja desenvolvida espiri­tualmente. Aprendam a discernir.Vocês estão vivendo uma época importantíssima em que a energia está chegando viva. Tudo o que estão sentindo é o resultado de estarem despertando os vossos potenciais ador­mecidos. Um vendaval está soprando, mostrando-Ihes que há muita agitação rolando no ar.



Os deuses estão aqui. Vocês são estes deuses.



À medida que forem despertando para a vossa história, os vossos olhos da antiguidade abrir-se-ão. São os olhos de Hórus, que enxergam através dos olhos do ser humano, mas da perspectiva de um deus. Eles vêem a conexão e o pro­pósito de todas as coisas, pois são capazes de enxergar diver­sas realidades e unificá-las num quadro global revelando a história inteira. Quando forem abertos dentro de vocês os olhos da antiguidade, serão capazes de conectar-se com a história pessoal de cada um, com a história planetária, a história galáctica e a história universal. Aí, então, vocês vão descobrir quem são os vossos deuses.





Bárbara Marciniak - Mensageiros do Amanhecer - baixe o livro AQUI!







Extraído do Pistas do Caminho
Postar um comentário