19 abril, 2011

A Dama das Violetas - Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho, médium e escritora espírita, fala um pouco sobre seu trabalho mediúnico




Vera Lúcia é a autora mediúnica de 22 romances, entre eles, Violetas na Janela, publicado pela Editora Petit.

O livro é um best-seller de 765 mil exemplares e sua autoria é do espírito Patrícia. Vera Lúcia atrai leitores até no meio não espírita, ampliando os horizontes para o entendimento das questões que envolvem o mundo espiritual sob a ótica do espiritismo.



Quem é Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho?

Tenho 49 anos, nasci em São Sebastião do Paraíso, em Minas Gerais. Sou casada, tenho 3 filhos. Somos todos espíritas. Sou comerciante, trabalho com meu marido em nossa loja de móveis. Divido bem o meu tempo, amo aquilo que faço e estou muito feliz pela minha condição de médium, intermediária dos espíritos autores destes livros que a tantas pessoas tem ajudado e orientado.



Quando iniciou sua atividade mediúnica?

Desde criança posso ver e conversar com os espíritos. Fui muito católica. Aos 19 anos procurei entender melhor outras religiões. Conversando com seguidores de várias crenças, finalmente compreendi que todas as religiões são positivas, nos religando a Deus. Quando meu filho mais velho nasceu, passamos por muitas dificuldades. Nessa época nos convertemos ao Espiritismo, por volta do ano de 1975. Estudando muito, desenvolvi a vidência, a incorporação ou psicofonia e a psicografia, a qual pratico diariamente. Encontrei no Espiritismo as respostas para todas as minhas indagações.



O que significa o Espiritismo para Vera Lúcia?

É a religião que escolhi para seguir e vivenciar. É uma doutrina de amor e fraternidade, que nos esclarece de onde viemos e para onde vamos, talvez nosso maior conflito interior.



Além da psicografia, quais são suas faculdades mediúnicas?

Além de psicografar, sou clarividente, médium auditiva e recebo a palavra dos espíritos pela psicofonia ou incorporação.



Descreva o processo de psicografia de um livro espírita.

Em parceria com o espírito comunicante, escrevemos o livro várias vezes. Aquilo que estou escutando mediúnicamente, vou escrevendo. Se for preciso, refazemos o texto de três a cinco vezes, para que o resultado final seja o melhor possível.



Sua mediunidade é consciente ou inconsciente?

Minha medinuidade é consciente. Participo dos trabalhos mediúnicos.



O que você sente antes, durante e após o envolvimento médiúnico?

Faço costumeiramente minhas orações antes de iniciar minhas tarefas mediúnicas. Não sinto nada em especial, nem antes nem depois das manifestações dos espíritos.



A médium Vera Lúcia interfere na mensagem dos espíritos?

Nunca. Não interfiro nos textos transmitidos pelos espíritos. São relatos extraidos da vida real, os quais não posso, por qualquer razão, modificar.



Qual sua relação com a autora espiritual de Violetas na Janela?

O espírito Patrícia é minha sobrinha, filha de minha irmã. Até o seu retorno ao mundo espiritual sempre fomos muito unidas não só pelo parentesco mas também por uma grande amizade. Somos espíritos afins. Patrícia estudou muito a doutrina espírita. Sempre alegre e amável quando entre nós, hoje ela estuda e trabalha no plano espiritual.



No seu entender, qual a razão do sucesso dos seus livros entre aqueles que não são espíritas?

Nosso objetivo sempre foi levar, por intermédio do livro espírita, orientação e consolo a todos, indistintamente. Felizes, vimos nosso objetivo ser alcançado. Escritos em linguagem simples, facilitando sua compreensão, nossos livros atrairam leitores de várias religiões...



Como avalia a literatura espírita?

A literatura espírita consola, orienta, nos dá a certeza da continuação da vida após a morte física e a compreensão da justiça de Deus com o entendimento da reencarnação.



Entrevista realizada em 2003









--------------------------------------------------------------------------------







Dica de leitura - Romance espírita
Violetas na Janela



Psicografia: Vera Lúcia Marinzech de Carvalho



Pelo espirito: Patrícia



Páginas: 214



Com mais de 1.700.000 exemplares editados, este livro continua encantando os leitores.

Com uma linguagem cativante, Patrícia nos conta como foi seu desencarne, aos 19 anos, e como é a vida no plano espiritual: como é a alimentação, a vestimenta e a sensação que teve ao rever a família. Sucesso absoluto de venda, é o livro espírita mais comentado da atualidade.

Já virou peça de teatro pelas mãos da atriz Ana Rosa com o mesmo sucesso com mais de 100.000 pessoas. Além desta versão, você encontra também em castelhano, inglês e em esperanto. No momento de confortar alguém que tenha "perdido" um ente querido, este livro é o mais recomendado.

Patrícia desencarnou aos dezenove anos, de forma tranquila: foi como dormir e acordar no plano espiritual, entre amigos.

Violetas na Janela mostra o relato de uma pessoa consciente do que é a desencarnação. Narra com simplicidade as belezas que encontrou no Plano Espiritual, além das dúvidas que teve, do tipo: como se alimentar? Como se vestir? Sentiria frio? Usaria o banheiro?

Patrícia descreve com clareza a colônia para onde foi levada, e o mais importante: fala da ajuda que obteve dos familiares espíritas e da sustentação psicológica que recebeu de seu pai, exemplificando como proceder diante da morte de entes queridos.

Sem dúvida, esta maravilhosa descrição encantará a todos os leitores
Postar um comentário