19 abril, 2011

Mestres à Atacado





Atualmente há uma grande popularização do termo "Mestre". Nas vertentes New Age e seus derivados, similares e afins, é muito comum ouvir falar em mestre fulano pra cá, mestre ciclano para lá. Realmente não sei qual é o conceito, quais são os critérios que estas vertentes usam para eleger seus "Mestres".



Talvez o que eu entenda pelo termo Mestre, não seja o mesmo que estas pessoas interpretam. Porém como muitos usam o termo "Mestre Iluminado", me vejo na obrigação de escrever sobre este assunto.



Afinal, o que seria um Mestre Iluminado?



Teoricamente seria um "Buda", o termo Buda não se refere a um homem específico, é a um título, significando literalmente "Iluminado". Um Iluminado seria um ser que transcendeu a condição humana, finalizou o ciclo, porém renunciou a bem-aventurança eterna em prol de auxiliar a humanidade, continuando a reencarnar em corpos físicos.



Então será que realmente temos vários Budas na atualidade aparecendo por aí e vivendo de realizar encontros em grupo nos finais de semana?



Particularmente, duvido muito. Se estudarmos a literatura teosófica, veremos que os Mestres (os verdadeiros, não os pseudo) não são somente homens bons, sábios e pacatos, são em verdade Deuses-Homens, capazes de viver no corpo físico por trezentos, quinhentos anos se assim desejarem, capazes de realizar milagres, caminhar sobre as águas e coisas do tipo.



Foram estes seres (os Mestres) que Alexandre Magno encontrou no Egito e relatou para sua mãe em uma carta afirmando que havia encontrado os Deuses e que estes eram homens.



Segundo a literatura teosófica, há sim mestres vivendo atualmente no plano físico.



Estes semideuses velam em silêncio pela humanidade, inspirando grandes homens a realizarem grandes feitos, alimentando a chama divina no coração humano, mantendo as portas da espiritualidade abertas para que os verdadeiros buscadores possam nela adentrar.



Será que os autênticos Mestres entram em contato direto com os seres humanos?

Certamente não em workshops de finais de semana.



Segundo a teosofia, o contato direto desses seres com humanos só se dá através de seus chelas (discípulos), que são homens e mulheres escolhidos pela sua maturidade espiritual, candidatos capazes de realizar grandes obras e prol do progresso humano, sem desejarem em troca qualquer tipo de benefício.



Ouço absurdos de "pseudo mestres" terem a "meta" de junto de seus "seguidores" iluminar tantos milhões de seres humanos. Este feito seria realmente muito nobre, se não fosse totalmente absurdo e impossível.



A iluminação é uma condição natural do ser humano, um ponto de evolução que todos nós alcançaremos um dia, através de nossos próprios atos. Não é algo que possa ser concedido a alguém por outro alguém. Isto não seria somente impossível, como seria também o inverso do desenvolvimento espiritual autêntico, já que o desejo da iluminação seja talvez o maior obstáculo para obter a mesma.



Noto que há homens de grande inteligência, grande valor e coração sincero que procuram estas vertentes "caça-níquel" e são por elas iludidos, perdendo tempo e dinheiro em algo que não os levará a lugar nenhum.



Muitos poderiam se tornarem verdadeiros buscadores, porém são atrapalhados pelo desejo de ver, conhecer e seguir um mestre, este fator os torna vulneráveis, gera uma grande expectativa. Então quando eles encontram o "suposto mestre" eles automaticamente se emocionam, crendo ser a emoção que sentiram uma evidência de autenticidade da experiência de estar diante de um "mestre".



Infelizmente não passa de passionalidade coletiva, várias pessoas reunidas esperando ver alguém "iluminado", esperando serem amadas, instruídas e compreendidas, esperando encontrar algo especial. Desta forma elas estão pré-dispostas a se emocionarem e o desejo torna difícil acreditar que estão diante de um embusteiro.



Há um princípio ocultistas que afirma:

"Somente quando o discípulo está pronto é que o Mestre aparece".



O desejo de conhecer um mestre, de encontrar um caminho fácil e a prova de erros, de nos tornarmos amados e especiais, é um obstáculo grande, poderoso e perigoso para o verdadeiro progresso espiritual. O verdadeiro buscador deve se manter afastado dessas ilusões, deve compreender que somente a experiência humana vivida com propósito e sabedoria poderá levá-lo a um estado avançado de evolução.



O homem não deve buscar a iluminação, ele deve se concentrar em se tornar um homem de bem e estudar para um dia se tornar um homem sábio. Quanto à iluminação, esta acontecerá naturalmente, derivada de méritos próprios, muito provavelmente em um momento em que menos esperarmos, certamente quando não mais houver em nosso coração e nossa mente o desejo de "se iluminar".



CAMOS



--



CAMOS





http://cronicasespiritualistas.blogspot.com/*http://cronicasespiritualistas.blogspot.com/













__._,_.___



"Não há pessoa no mundo q saiba ou q possa compreender o q já fiz em minha vida. E não há pessoa no planeta q possa fazer como eu fiz. (Gilles de Rais)"
















Postar um comentário