05 julho, 2011

CONVERSANDO COM UM CAVALEIRO DO AMOR - WAGNER BORGES (UMA ENTREVISTA COM UM MESTRE DA CURA ESPIRITUAL)



- Você sempre aconselha as pessoas a elevarem os pensamentos e sentimentos ao Alto, no sentido de pedirem perdão pelas tolices feitas. Todavia, por que o Céu precisaria de alguém pedir perdão para acertar as coisas?

R. Meu filho, realmente Nosso Senhor não precisa que ninguém peça perdão a Ele, pois o Seu amor é incondicional. Contudo, o homem precisa fazer isso, para dar-se conta de que precisa quebrar seus padrões antigos e renovar sua consciência. E também para afirmar a si mesmo no sentido de melhorar. Não é questão de se humilhar diante do Céu, que não precisa disso, mas de modéstia e quebra do orgulho do homem. E não basta pedir perdão, se não houver um desejo sincero de mudança.

- E os que pedem perdão só da boca para fora, sem espírito e verdade?

R. São hipócritas tentando enganar o Céu. São tolos! Não enganam nem a si mesmos, quanto mais ao Senhor de todas as coisas.

- Preces realmente são eficazes? São mesmo necessárias?

R. Se somente rezar resolvesse as coisas, todos os religiosos do mundo seriam pessoas maravilhosas e compreensivas. E não é isso que se vê por aí... O que importa é a atitude da pessoa. O que ela é em essência, e o que a anima na vida. E isso tem mais a ver com o caráter de cada um, e não com doutrinas ou petitórios ao Senhor. No entanto, quando a prece é feita de coração, o Céu sabe. E aí, uma luz desce sobre a pessoa e toca seus melhores potenciais. E é tão bonita uma prece de agradecimento. Pena que muitos nem pensem nisso. Só querem incomodar o Senhor com seus pedidos egoístas.

- Você pode passar algumas dicas para os curadores?

R. Trabalhar com cura é tarefa de grande responsabilidade. Ao ajudar os outros, a pessoa solve antigos débitos cármicos dela mesma. Mas nenhum curador deve trabalhar por isso. O seu objetivo é fazer o outro melhorar e ser feliz. E não é bom ter vaidade alguma nisso, pois é a Luz do Universo que realiza os acertos necessários e equilibra as energias. O curador é um canal psíquico e seu trabalho é abrir-se ao fluxo da vida universal, para que o verdadeiro poder passe através dele e opere os procedimentos adequados, que só o Alto conhece. Modéstia e gratidão são as tônicas dos curadores responsáveis e amorosos.

- Você curou muitas pessoas - e se ligava às vibrações de Jesus. Como é que era isso?

R. Nosso Senhor sempre foi minha inspiração. Ele foi o maior curador de todos. Nele, a arte da Taumaturgia foi elevada ao máximo. Quando eu pensava nas mãos dele espargindo bênçãos entre os homens, descia uma luz intensa sobre minha cabeça, e minhas mãos ficavam bem quentes, como se houvesse brasas no centro delas. E meu coração era arrebatado por ondas de amor. E, nas horas de angústias e provações, eu me recolhia em prece. E Ele enviava o auxílio necessário, dotando-me de forças para vencer as dificuldades, que muitas vezes me eram impostas pela calúnia e inveja das pessoas.

Sem Jesus, eu não era nada! E não falo isso por devoção cega, não. Você sabe o quanto prezo o discernimento, e que estudei as doutrinas orientais também. Mas é a verdade!

Muitos me chamaram de taumaturgo, mas Ele era a fonte de energia e amor que passavam por mim. Eu era um canal esforçado, apenas isso.

- Dizem que você previu a Primeira Grande Guerra Mundial e a gripe espanhola. Isso é verdade?

R. Infelizmente, prever guerras entre os homens é fácil. Difícil é prever a paz. E pandemias graves surgem ocasionalmente. Fazem parte das provações do mundo. Enquanto o egoísmo e a violência persistirem em suas relações, os homens serão atormentados por provações diversas. E, diante delas, todos ficam pequenos e carentes. Na hora do choro que vem do fundo do coração, que força do mundo poderá curar as dores de dentro? Meu filho, ninguém está livre de infortúnios. Portanto, é de bom tom haurir energias superiores durante a meditação, e orar ao Alto para que o melhor aconteça para todos.

- É verdade que você escutava sons celestes e melodias etéreas?

R. Sim, é verdade. Mas isso ocorria mais durante o sono, ou mesmo na meditação. Era comum, naqueles momentos de transição entre a vigília e o sono - e do sono para a vigília -, que eu visse clichês astrais e ouvisse músicas sublimes, vindas de outros planos. E, ocasionalmente, eu saia do meu corpo e operava em espírito. Eu era levado no ar por mãos invisíveis, que me direcionavam a pessoas doentes e aos espíritos infelizes que as oprimiam. E ali eu aplicava energias mediante a arte da Taumaturgia, sempre ligado a Jesus. E, depois, voltava para o corpo físico com as mãos formigando e uma alegria que não era da Terra. Em muitos desses momentos, eu também ouvia músicas transcendentais.

P.S.:

Nesse ponto do papo, que rolou extrafisicamente, enquanto eu estava projetado fora do meu corpo*, aproveitando a liberdade concedida pelo sono, ele me disse que tinha algo a fazer e que não poderia ficar mais. E me prometeu voltar numa outra hora para continuarmos a conversa. E também me disse que me passaria algumas orientações extrafísicas pertinentes. Então, vamos aguardar o seu retorno.

Paz e Luz.

Nota: Projeção da consciência - é a capacidade parapsíquica - inerente a todas as criaturas -, que consiste na projeção da consciência para fora de seu corpo físico.

Sinonímias: Viagem astral - Ocultismo.

Projeção astral - Teosofia.

Projeção do corpo psíquico - Ordem Rosacruz.

Experiência fora do corpo - Parapsicologia.

Viagem da alma - Eckancar.

Viagem espiritual - Espiritualismo.

Viagem fora do corpo - Diversos projetores extra-físicos e autores.

Emancipação da alma (ou desprendimento espiritual) - Espiritismo.

Arrebatamento espiritual - autores cristãos...
Postar um comentário