12 fevereiro, 2011

Hello, Alma Gêmea - Bernardo Conceição


E aí, minha Alma Gêmea, como vai você?

É, irmã, já sinto saudades, ao mesmo tempo que não sinto nada. Estranho, não? Certo, porém.

Todavia, uma confissão hei de fazer: ah, que solidão que as vezes bate. Não é necessariamente saudade de você, mas saudade de mim mesmo, compreende? Fácil se fosse simples. Mas, ei, assim é a vida, e suas coisas mais importantes, não é verdade: uma coisa tão simples que é difícil de entender.

Contudo, que eu não perca aqui o foco, afinal de contas, escrevo para ti minha Alma Gêmea. Farei uma correção, pois minha, esse pronome possessivo não quero usar. Assim, escrevo para você Alma Gêmea.

Ai, você que tanto me procurou, e eu que tanto te procurarei, e parece que sempre sabia onde você estava, mas quando saía para te procurar, você já não estava lá. Provavelmente, inquieta e ansiosa, como eu, devia ter saído também a minha procura. Então, vamos combinar: ninguém procura ninguém, aí deve ser mais fácil de se achar. Ixi, mas que teoria mais doida. Se ninguém se mexer, como é que vamos nos encontrar???

Ahã! Duas opções: ou reviro os olhos, como no Exorcista, ou compro um espelho. Entendeu?? Não?! Mas poxa, é tão simples! É só olhar pra dentro, dã!

Hehehe.... novamente, simples se fosse fácil. Sim, verdade, roubei essa frase sua. Na verdade, roubei de mim mesmo, não?

Mas essa é a maior verdade de todas. Vamos lá, lógica banal, exemplo: Deus criou o homem à sua imagem. Eu sou humano. Consequentemente, eu sou Deus. Pronto, tá aí.

Se a alma é gêmea, ela é igual a mim, portanto.... Ah, vá, quer dizer que não entendeu? Mas eu entendi!

Verdade, eu e você somos UM, mas não somos IGUAIS. Mais verdade é que gostamos quando vemos nossas verdades sendo praticadas, nossas opiniões reproduzidas, nossos conceitos adotados, adoramos ouvir nossa própria voz, mas na voz de outra pessoa. E que melhor pessoa que você, Alma Gêmea?

Pronto, tá aí a maior verdade, você, Alma Gêmea, é a afirmação de tudo que eu sou. Aquilo que não consigo ver em mim, ou vejo em falta, ou excesso, vejo em você em perfeição. Sabe porque? Porque não te julgo, e foi você que me deu essa lição. Ah, mas que lição, e só eu mesmo para me dá-la, né?

De fato, a saudade que sinto de você, é a saudade que sinto de mim. Daquilo que meus próprios braços não conseguem abraçar, meus próprios lábios que não consigo beijar, o carinho tão único que, só, eu não consigo me dar.

Porém, essa saudade está nas minhas mãos para ser morta, aniquilada. Essa saudade, não quero mais. Quero amar, ser livre, sentir-se livre. E, portanto, eu declaro: EU AMO, você, ALMA GÊMEA!

Soa, estranho, mas não soa esquisito, sabe porque? Estou aprendendo a me amar. E esse, é minha querida, o maior presente e o maior amor que posso te dar.

Sedes livre, sedes amada. Por mim, por você. Seja você por você, enquanto estará também sendo por mim.

E, olha que coisa mais bacana, escrevi, compus, e produzi essa música para você. E não estranhe se outro reclamar por sua autoria, é o pobre bobo não sabe que SOMOS TODOS UM, ainda que não sejamos TODOS IGUAIS!
Postar um comentário