26 dezembro, 2010

O Cérebro e a nova freqüência vibracional :: Wilson Francisco ::



O Cérebro e a nova freqüência vibracional


Cada pensamento do homem, ao ser produzido, passa ao mundo interno e se torna uma entidade viva, sobrevivendo de acordo com a intensidade da ação cerebral que o gerou, criando as situações decorrentes, se for um pensamento bom ou mau. Alfred P. Sinnett

O nosso pensamento está onde estiver nosso coração! 

Na verdade, o ser humano que desenvolveu a capacidade de colocar seu pensamento em sintonia com o coração, é um ser multidimensional e antenado com o Universo nas suas mais belas e justas expressões. 

O melhor e maior exemplo que tenho de criatura multidimensional é o Walt Disney. Ele tornou realidade tudo que fazia parte do imaginário infantil. E dizia para as pessoas que se admiravam com sua façanha: Você não pode mudar o mundo e as pessoas, então mude você.

Para realizar transformações em nós será necessário um estudo sobre esta máquina extraordinária, o cérebro. Hoje sabe-se que o cérebro tem três estruturas diferentes, independentes mas interconectadas:

Sistema límbico ou cérebro emocional: herdado dos mamíferos, é o limbico, em latim limbus significa periferia (está localizado nos limites externos do tronco cerebral) que é a sede do cérebro reptiniano. Administra as emoções e a capacidade de sentir.

Reptiniano: coordena o comportamento, hábitos e padrões repetitivos física e quimicamente. É fruto da longa evolução animal até o homem; herdado dos répteis, controla as reações, movimentos automáticos e os gestos instintivos e involuntários. 

Neocórtex: Há cerca de 100 milhões de anos o cérebro dos mamíferos deu um salto (mudança de freqüência) fazendo surgir o neocórtex. Nascia o homo sapiens com os dois hemisférios, o direito e o esquerdo, correspondendo a pensamento racional e imaginação. Um lado gerenciando as ações da personalidade e o outro dirigindo os procedimentos da Essência, ou como querem alguns, do Espírito.

Segundo pesquisadores da nova era e alguns amparadores espirituais, a evolução natural está provocando atualmente a sintetização cerebral. É um novo salto ou mudança de freqüência. Ela permitirá a elaboração do novo padrão cerebral: o sintético (perfeita harmonização entre o hemisfério direito e o esquerdo - razão e sentimento).

Isto quer dizer que o ser humano está entrando em nova freqüência vibracional.

30 anos atrás o geofísico Schumann descobriu que havia uma graduação de voltagem entre a ionosfera e a Terra. Essa freqüência era de 7 hertz (ou ciclos por segundo), e é chamada pela ciência de a freqüência de Schumann. No inicio de 90 os cientistas comprovaram que esta freqüência planetária estava alterada, tendo aumentado para 8,3 hertz.
A hipótese de Patrick Drouot, físico francês é de que o Planeta Terra está entrando num novo ciclo, ou seja, numa nova freqüência. 

O calendário Maia desde a antiguidade diz que antes de 2012 a humanidade passaria por um estado de eterização em seu corpo de luz, provocando a fusão, o encontro com o corpo de luz da Mãe Terra. 
Este estado de eterização do corpo de luz, pode ser a mudança da freqüência, descoberta pelos cientistas. 
Outras e recentes pesquisas e descobertas podem ser mencionadas aqui, para nosso estudo. Referem-se ao DNA.

Trigueirinho, autor de vários livros a respeito da Era do Espírito, realiza experiências místicas e sugere a existência do DNA sutil no corpo físico de algumas pessoas, o que lhes garante transmutações perceptivas;

André Luiz, no livro Evolução em Dois Mundos, informa sobre a existência de determinadas áreas do cérebro onde predomina um ritmo vibracional extra-dimensional;

Rowland Barkley, xamã curador australiano esteve no Brasil em 1997. Ele usa modernas técnicas neurolingüísticas e terapias energéticas, que possibilitam a repadronização do DNA sutil. Segundo ele, o DNA sutil é a contraparte do DNA celular e contém o registro das potencialidades essenciais (espirituais) do ser humano, enquanto o DNA celular guarda a memória genética (corporal);

Elaine de Beauport, cientista, mostra em suas pesquisas que hoje o cérebro humano já é um sistema de energia.

Segundo alguns pesquisadores, as raças lemuriana e atlante desenvolveram os corpos etérico, físico e emocional, enquanto a ariana, esta nossa raça, está com a missão de aperfeiçoar o corpo mental. André Luiz em Evolução em Dois Mundos e Anne Besant , uma grande mestra da Teosofia falam deste corpo.
Há informações vindas de Seres Extra-físicos e alguns grupos estão pesquisndo este assunto, denominado GNA (DNA sutil). O GNA (DNA sutil), localizado no corpo energético, está livre de carma material e não manifesta agressividade em sua estrutura, pois ele não pertence ao físico e sim ao mundo extra-físico;

Para o desenvolvimento do GNA ou DNA sutil é necessária a abertura de novos padrões mentais, que este inspira e estimula. É justamente essa estimulação que a humanidade vem sentindo, alguns não sabendo de onde vem e nem como. E este desconhecimento pode colocar o ser humano em crise ou conflito.
Paulo, na epístola aos Romanos VII – 18,19 explica que não faço o bem que quero, mas pratico o mal que não quero. É a tal da sintonia com uma nova freqüência ou a conversão ou ainda a percepção de mensagens extra-físicas, que chegam, são percebidas, mas nem sempre são entendidas e praticadas.

Mas, quando a criatura conhece e se conscientiza, colocando em prática ações extra-dimensionais, procurando integrar em suas ações os vários compartimentos cerebrais - além de oferecer canalizações para que as informações intra-galáticas ou extra-físicas que permeiam sua vida interfiram em seu universo existencial - ela terá como resultado o seguinte: os seus diversos corpos ingressam em um vórtice de energia superior (a tal da nova freqüência de que falamos).
Esta pessoa será, então, um ser superior, um gênio ou um grande guru, um excelente médium, enfim transcenderá e se destacará realizando uma preciosa missão aqui na Terra. Esta é a meta de todos, para esta nova era, este novo tempo, nesta nova freqüência vivencial.

Postar um comentário