21 janeiro, 2011

A agitação mental bloqueia sua conexão com Deus - Por Bruno J. Gimenes



  
Essa afirmação sempre gera polêmica, mas ela tem um fundamento que procurarei explicar, pois realmente poderá lhe mostrar o quanto somos controlados por nossa mente. Experimente fechar os olhos agora, por cinco minutos, com a idéia de manter-se em silêncio, esvaziar a mente mesmo. Será que você consegue limpar-se de visões internas, pensamentos e burburinhos mentais? Provavelmente não.

Na tentativa de cessar esse ritmo, você perceberá com certa frequência que vagará de uma pensamento para outro, de uma idéia para outra, de uma visão para outra, sucessivamente. A mente é frenética, não pára. Podemos até diminuir essa freqüência mental por algum período - menor ou maior de acordo com o treino que a pessoa se submete - mas pará-la é quase impossível para a maioria de nós. 

A conclusão que chegamos: não controlamos a nossa mente, mas ela nos controla. Diga-se de passagem, trata-se de uma constatação alarmante, principalmente porque no século XXI já temos a comprovação necessária, até mesmo no campo da ciência, que pensamentos criam realidades, logo, somos o que pensamos. Se nossos pensamentos criam a nossa realidade, precisamos aprender a escolher o que pensar, precisamos pegar as rédeas das nossas vibrações mentais, por isso devemos dedicar tempo e cuidado na arte de domar a nossa mente, para que nossa realidade aconteça conforme nossos objetivos, e não aleatoriamente como conseqüência de nossa agitação mental.

Mas para melhor introduzir o tema e sua elevada importância, antes é importante falar da energia imanente ou cósmica, que é a força que está presente em todo o cosmos. Ela permeia, nutre e forma o universo e todos os seres que nele habitam. Quando essa energia permeia nossos corpos, ou melhor, nos nutre, nós a absorvemos naturalmente e a transformamos, impregnando-a com nossas características de personalidade. Quando essa força nos toca, nossos pensamentos e emoções magnetizam-na com a essência do teor desses pensamentos e emoções. Ou seja, formamos a nossa aura corpórea, criada por essa energia extrafísica que assume as características da personalidade do indivíduo. Isso quer dizer que se uma pessoa é feliz, ela impregnará a energia imanente com a vibração da felicidade. Também quando uma pessoa é depressiva, a sua aura é conformada pela vibração da depressão. Por isso a aura de uma pessoa, que é o seu campo energético, manifesta a sua própria personalidade. Quando a energia cósmica nutre uma pessoa, que passa a impregná-la com a vibração de sua personalidade, essa energia muda de nome e essência, passando a chamar-se energia consciencial.

A energia cósmica é pura, leve, suave, equilibrada às nossas necessidades. Todo dia recebemos permanentemente o abastecimento dessa energia sutil, e, pela ação dos nossos pensamentos e sentimentos, alteramos-lhe o padrão passando a densificá-la pela nossa ignorância e desequilíbrio.

Essa visão comprova que somos os criadores da nossa cura, assim como somos os criadores da nossa doença, porque se nossa mente não parar de oscilar pensamentos frenéticos, desajustados, aleatoriamente, ela alterará o padrão da energia cósmica, transformando-a em energia consciencial totalmente nociva, pela ação impregnante de pensamentos e emoções tóxicas.

Deus é a Fonte da energia imanente, que nutre e mantém a vida, que nos alimenta de saúde e vitalidade. Mas como beneficiarmo-nos dessa dádiva, se ao recebermos o fluxo dessa luz Divina diariamente, a transformamos em uma seiva tóxica que nos adoece e nos ilude? Como estar em sintonia com Deus se quando sua "mão" nos toca todos os dias, a rejeitamos?

Deixar que os pensamentos tóxicos, negativos, pessimistas, tomem conta de nós é fechar as portas para as bênçãos cósmicas que recebemos constantemente.

Mas não se tratam apenas de pensamentos negativos, carregados de maldade ou ódio, eis aí o fator mais alarmante. O estresse, a agitação, a hipeartividade mental e a futilidade também são exemplos de padrões que escurecem ou densificam a energia imanente. Portanto, esses erros cotidianos nos afastam de Deus, ou melhor, nos adoece, porque toda energia imanente absorvida por consciências confusas - que é teoricamente 99% da população - dá origem a energias consciências debilitadas, que por consequência darão origem as doenças do corpo físico.

Essa visão também explica o motivo pelo qual, muitas pessoas que se dizem descrentes de Deus, ainda assim podem ser felizes e saudáveis. Isso acontece porque a energia imanente, que vem da Fonte Maior, não julga, não quer que você seja dessa ou daquela religião, que siga uma ou outra doutrina, mas prefere que você tenha bons pensamentos, e boas emoções, para manter-se em sintonia com Ela. Esse é o significado mais íntimo, mais profundo da palavra livre arbítrio.

Diante desses apontamentos de elevada importância, então, como manter a Conexão constante com Deus nos dias atuais?

Precisamos aprender a reservar momentos do dia que tenham a finalidade de cessar a frequência mental. Temos que treinar nossos pensamentos e emoções para que "fiquem de fora", no sentido de se manterem neutros, por pelo menos cinco minutos, duas, três, quatro ou mais vezes ao dia. Por incrível que isso possa parecer, a esmagadora maioria das pessoas não sabe o que é isso, tampouco imaginam os benefícios dessa simples prática.

Quer ter saúde? Aprenda isso! Quer ser feliz? Aprenda isso! Quer ter idéias e virtudes boas? Aprenda isso! Quer ser consciente da vida, do mundo e da sua missão aqui na Terra? Aprenda isso.

E por que somos assim? Porque nossa mente recebe os pensamentos, aceita-os de acordo com nossas crenças e experiências, e os incorpora como rotina. Uma vez que essa rotina se estabelece em nossa mente, ela passa a ter vida própria, como um programa de computador, passa a executar suas tarefas, naturalmente, já não mais tendo a necessidade de ser alimentada, porque já está gravada por base nas experiências vividas.

Precisamos quebrar esses programas de crença, em primeiro lugar querendo muito! Esse é o ponto principal, querer uma vida melhor, querer sentir o sabor de uma vida com maior conexão com Deus. Mas essa vontade precisa ser intensa.

Uma vez que essa barreira da vontade for vencida, e que você estiver realmente munido da intenção de fazer a mudança, aí será necessário uma mínima disciplina para todos os dias, várias vezes no período, estabelecer uma conexão mental com o vazio! Sim, o vazio dos seus pensamentos, porque é ali que a energia imanente, pura e primordial se encontra.  Você pode buscar o vazio de diferentes formas, que sejam positivas e que não gerem consequências a ninguém. Pode fazer isso pela oração, meditação, Ioga, Reiki, devoção a um santo, em um grupo, em uma sociedade fraterna, no meio da natureza, no culto, em um ritual, na missa, em qualquer lugar. Existem ilimitadas formas de acessar essa Fonte da Vida, ou o Cristo Planetário. Cabe a nós a consciência do nosso potencial e disciplina para manter um hábito condizente a preservação da qualidade da energia imanente.

Fonte: Mensagem recebida por e-mail.  

Postar um comentário