31 janeiro, 2011

ANATOMIA SUTIL





Uma das principais razões pelas quais a medicina tradicional reluta em validar os métodos alternativos de cura é o fato de deles encararem o corpo físico como a única dimensão da existência humana. A própria consciência foi considerada por muito tempo apenas como um subproduto do sistema nervoso central.
Dentro dos paradigmas (modelos) mecanicistas e reducionistas que norteiam a medicina moderna, o cérebro é visto como um complexo e sofisticado biocomputador.
Mas se o cérebro é um biocomputador, ele tem necessidade de um programador para instruir o sistema.
Essa entidade consciente que utiliza o biomecanismo do cérebro e do corpo é a alma ou espírito humano.
O programador - o espírito – atua sobre o hardware que conhecemos pelo nome de cérebro e corpo, através de uma série de sistemas energéticos de dimensões mais elevadas, que a ciência ainda não reconhece.
O sistema físico, portanto, não é um sistema “fechado”. É apenas um dos sistemas interativos que coexistem em um equilíbrio dinâmico.
Esses sistemas energéticos superiores são chamados corpos sutis. Estão fisicamente sobrepostos uns ao outro no mesmo espaço. São constituídos de matéria com características vibracionais diferentes do corpo físico. Energias de freqüências diferentes podem coexistir no mesmo espaço sem que se produza uma interação destrutiva.
As camadas energéticas que chamamos de aura, os centros de forças chamados chacras, canais por onde flui a energia, denominados nádis, além dos meridianos da acupuntura, o corpo etérico (ou duplo etérico), são partes da anatomia humana multidimensional.
Não se trata de um conceito meramente esotérico a constatação de que campos energéticos permeiam e afetam a matéria. Esse conceito – além de já ser conhecido pelos chineses e hindus há milênios - tem sido um princípio fundamental da teoria da Física há mais de um século.
Infelizmente a ciência ocidental ignorou por muito tempo as descrições dos componentes etéricos da fisiologia humana, pelo fato da sua existência não poder ser provada pela dissecação anatômica.
Atualmente, de posse de novas tecnologias, começamos a obter as primeiras confirmações de que esses sistemas de energias sutis existem efetivamente e influenciam o comportamento fisiológico dos sistemas celulares. Os cientistas modernos já reconhecem que pensamentos e emoções afetam a estrutura celular do organismo humano.
A medida que as pesquisas multidisciplinares sobre a anatomia sutil humana forem avançando, haverá uma maior compreensão e conseqüentemente uma maior aceitação do fato de que terapias suaves a base de florais e ervas, reiki, cromoterapia, visualização criativa, meditação, etc... podem ser agentes de cura muito eficazes.
E que o sucesso das tecnologias médicas atuais pode ser significativamente aumentado através dessas terapias complementares.
(Fonte: Gerber, Richard. Medicina Vibracional. Editora Cultrix)
NOTAS
AURA - A palavra AURA vem do latim e significa sopro de ar. Aura é o halo luminoso, multicolorido, que envolve e interpenetra o corpo físico, refletindo, energeticamente, o mundo íntimo da consciência encarnada, seus pensamentos, sentimentos e experiências.
Pode ser definidos como o campo resultante de emanações de natureza eletromagnética, que envolve todo ser humano, refletindo, não só a sua realidade evolutiva e seu padrão psíquico, como também sua situação física e emocional do momento, espelhando seus pensamentos, sentimentos, desejos, idéias, opiniões, etc.
DUPLO ETÉRICO ou CORPO ENERGÉTICO - É um envoltório energético, que varia entre 1,5 e 5 cm de espessura, que reveste todo o corpo somático (fisico).
É uma zona intermediária, pela qual passam as correntes energéticas que mantêm o corpo humano vivo. Uma zona de contato que une o corpo físico ao Psicossoma.
O duplo etérico tem importante papel nas terapias energéticas. Está ligado à doação ou exteriorização de energias
É muito confundido com o perispírito ou corpo astral (psicossoma). É o veículo e a reserva da nossa energia vital, absorve o fluido vital e o distribui pelo corpo humano, além de transformá-lo em fluidos sutis enviando-os ao corpo astral (perispírito)
De acordo com a linha de pensamento, o duplo etérico pode também receber vários outros nomes como corpo vital, corpo bioplasmático, duplo energético, corpo etérico, corpo energético, holochacra, duplo vital, etc.
ETÉRICO - a palavra vem de éter, e se refere aqui a um estado de energia mais sutil.
NADIS-são condutos energéticos situados em nosso corpo etérico e que tem como função o transporte da energia vital. Segundo descrições de clarividentes, os nadis possuem a aparência de veias energéticas como um gás neon. Os nádis são, portanto, linhas de força que não devem ser confundidas com os nervos do corpo físico, embora estejam em relação com eles, como os chakras estão em relação com os plexos e órgãos do corpo físico. São condutores de energia. O número de Nadis é muito variado na literatura hindu: alguns dizem que são em 72.000; outros em 550.000. Dentre estes os principais são o SUSHUMNA, IDA E PINGALA. Sushumna supera a todos os outros em importância.
PSICOSSOMA - O psicossoma pode ser definido como a contraparte extrafisica do corpo físico, ao qual se assemelha e com o qual coincide minuciosamente, parte por parte. E uma réplica exata do corpo físico em toda a sua estrutura.
A diferença entre os corpos está em que o psicossoma é constituído de matéria astral, que vibra numa freqüência mais sutil e é infinitamente mais refinada do que a matéria física que constitui o corpo físico. Ele também é denominado de CORPO ASTRAL, PERISPÍRITO, DUPLO ASTRAL, CORPO FLUÍDICO, CORPO ESPIRITUAL ETC.
VIBRAÇÃO - Quando falamos em vibração, estamos usando simplesmente um sinônimo de freqüência. A matéria que vibra numa freqüência muito lenta é chamada de matéria física. Aquela que vibra em velocidades maiores que a luz é chamada de matéria sutil. A matéria sutil é tão real quanto a matéria densa: sua taxa vibratória é simplesmente mais rápida. No inicio do século XX, quando Einstein apresentou ao mundo a sua equação E=mc2, ele provou aos cientistas que energia e matéria são duas manifestações diferentes da mesma energia universal.


Postar um comentário