02 dezembro, 2010

AS CHAMAS GÊMEAS

A Dimensão Espiritual do Amor e dos Relacionamentos



A busca do amor e do companheiro perfeito é realmente a busca pela unidade, existem três tipos de relacionamentos românticos que nos levam a esta unidade: chamas gêmeas, almas companheiras e relacionamentos cármicos. No princípio, as chamas gêmeas foram criadas juntas e compartilham um único destino. Criadas em um único ovóide ígneo, elas foram separadas em duas esferas do ser, uma na polaridade masculina e a outra na polaridade feminina, ambas com o mesmo padrão divino de identidade. Embora passem algumas encarnações juntas e outras separadas, a união delas é eterna, e depois que tenham se unido com o seu Eu Superior, elas estarão unidas eternamente. Mas isto não quer dizer que todas as suas vivências foram belas e mesmo realizadas no amor.

Uma alma companheira é diferente de uma chama gêmea. Considerando que cada um de nós possui apenas uma chama gêmea, podemos ter muitas almas companheiras. As almas companheiras, às vezes, compartilham um objetivo complementar na vida. Elas são amigas e companheiras que estão trabalhando freqüentemente para desenvolver as mesmas virtudes e desenvolver os mesmos chakras. Essas relações tendem a ser harmoniosas e satisfatórias, e tais almas podem realizar grandes coisas juntas.



Temos então o relacionamento cármico, neste caso as duas almas são unidas para o equilíbrio do carma mútuo. A união cármica pode ser a mais forte de todas, e começar com uma grande atração. E tal se dá porque a alma tem uma profunda ânsia de ser livre, e tem um conhecimento interno de que a unificação é a chave para a resolução pelo equilíbrio do carma, que freqüentemente, é severo, com a existência de violência, ódio, abandono ou até mesmo assassinato. De vez em quando, há um vazio, uma solidão que revela a insuficiência de uma relação fundada somente na atração pelo carma. Mesmo sendo freqüentemente difícil, estes relacionamentos são necessários para se alcançar o domínio no Caminho Espiritual. Todos experimentam os três tipos de relações no decorrer de suas vidas. A chave para a unidade em todos, é amar todas as almas.

Chamas gêmeas e almas companheiras

Há eras atrás, além dos confins do tempo e do espaço, você e sua chama gêmea estavam perante Alfa e Ômega, e Deus Pai e Deus Mãe, prometeram trazer para a Terra uma porção da criatividade Divina, trazer a energia do seu próprio Ser, no plano do Espírito, a sua Presença do EU SOU, para o mundo da forma para a ação, para a boa criação, e depois, voltar para o plano do Espírito, tendo dominado o tempo e o espaço.





Aprendendo a conseguir traduzir energia espiritual para o plano físico requer uma série de encarnações, nas polaridades masculinas e femininas. Desse modo, cada chama gêmea teve a oportunidade de refletir a totalidade do Deus Pai e Deus Mãe.

Se tivéssemos permanecido em harmonia constante, teríamos compartilhado a beleza da relação de amantes cósmicos ao longo de nossas muitas encarnações na Terra. Mas assim que perdemos a harmonia entre nós mesmos e com Deus — por desconfiança, por medo, ou por um senso de separação da nossa identidade divina, permitimos que a escuridão penetrasse em nossas vidas, criando mundos de energia negativa entre nós e nossa chama gêmea. Nós nos achamos mais distantes e mais separados até que passamos à “noite”, como navios perdidos, tragicamente inconscientes da existência de um e do outro.

À cada encarnação, apartados de nossa chama gêmea, foi vivida criando carma negativo ou equilibrando o carma de que se encontrava entre nós e nossa reunião com nossa chama gêmea. Por vezes, assumimos várias relações com nossa chama gêmea: como marido e mulher, como filho e mãe, como filha e pai ou como irmão e irmã, para extinguir as correntes negativas de energia que nós mesmos tínhamos tecido em nossos subconscientes, pelo mau uso do livre arbítrio. Freqüentemente, quando as pessoas aprendem que elas compartilham uma missão sem igual, com suas chamas gêmeas, começam a procurar fisicamente aquela alma especial, em vez de buscar a união interior. Esse é sempre um desvio no caminho para a libertação da alma.





Sub umbra alarum tuarum intineris in pat

laudabilis divinitas...

Sissy
Postar um comentário